11.6.18

estávamos sós. era uma constatação de vida. não caberíamos nos moldes. sentenciados. havia muita solidão naqueles dias. a carência comete erros. perdemos os critérios a respeito da nossa própria verdade. então o que nos resta é chorar. talvez, quem sabe, tivéssemos alguma chance numa vida privada de burocracias. a gente nunca vai saber. especulamos sobre uma realidade forjada. os nossos sonhos recolheram a mão. não alcançamos mais. nos perdemos pelo caminho. vou até a beira, abismo.  pois é, não deu. deixo assim como está.